quarta-feira, 17 de outubro de 2012

A Venezuela é descrita pelo partido (republicano) como um Estado "narcoterrorista"

 
 
Republicanos
veem ação direta do Irã sobre a América Latina

NEWTON CARLOS

 
O que se refere à América Latina no programa republicano foi redigido sob influência da deputada Ileana Ros-Lehtinen (Flórida), onde fica o grosso do voto hispânico.
 
Como membro da Comissão de Relações Exteriores, ela antecipou qual seria o alvo da oposição republicana dizendo que as visitas do presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, a Venezuela, Nicarágua e Equador "podem desestabilizar o continente".
 
É uma nova versão da Doutrina Monroe, do século 19, que pregava "América para os americanos".
 
O ex-presidente Bill Clinton disse certa vez ao Congresso que a América Latina já não sofre ameaça de intervenção externa, tendo em vista que o comunismo desabara com o fim da URSS.
 
A Doutrina Monroe teria assim perdido o sentido. Mas ressurgiria com esse advento da "ameaça terrorista" de matriz no Irã.
 
O programa republicano afirma: "Resistiremos à influência estrangeira em nosso hemisfério".
 
A Venezuela é descrita pelo partido como um Estado "narcoterrorista" e acusada de ser posto avançado do Irã em nosso continente, o que significaria crescente ameaça à segurança dos EUA.
 
"Somos o partido da paz mediante o emprego da força", é outra afirmação, feita em tom ameaçador, pelo partido de Mitt Romney.

NEWTON CARLOS é analista internacional
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário